VICRLDA: dual-boot , pop!_os , gnome boxes , vpn checkpoint e novo workflow

Saudações terráqueos !!! Meu nome é VICRLDA-1-5-92 ... Sou um mensageiro intergaláctico, venho em paz e trago comigo um comunicado. Na verdade, trata-se de um sucinto relato sobre acontecimentos particulares ocorridos neste último mês e meio aqui na Terra, período no qual meu mestre e senhor (Victor, o grande) estava afastado e impossibilitado de deslocamento para vir lhes anunciar pessoalmente. Enfim, devaneios à parte, logo abaixo segue a transcrição da mensagem! Câmbio, desligo.

Olá pessoal ! Que bom revê-los e estar de volta após mais uma breve pausa! Não exatamente proposital, eu confesso, mas também não estava nos planos ficar tanto tempo sem postar nada. Quase 45 dias já se passaram desde o nosso último encontro, ocorrido em 09 de agosto. De lá pra cá, talvez a notícia mais importante (pelo menos pra mim) é que fui alçado e agora sou um especialista nível 03 no meu local de trabalho. Formalmente, e internamente, trata-se do setor de infraestrutura e operações, ou simplesmente setor de SUPORTE, como é o caso de muitas empresas aqui no Brasil. Redes, Banco de Dados, Segurança, Linux e Windows Server, são apenas alguns dos elementos que compõem e dão forma ao departamento de Infraestrutura de TI de uma organização. Usualmente, esse digamos “guarda-chuva”, está sob a tutela de um gerente que responde a um diretor técnico que recebe orientações do diretor-presidente. A nomenclatura varia um pouco, é claro, e outros protagonistas adicionais existem, coexistem, ou deixam de existir nesse organismo vivo chamado Governança Corporativa (estude COBIT 5 para saber mais!). Bom, e o que isso tem haver comigo? Não, não falo de você, estou perguntando a mim mesmo … rsrs! Esse reconhecimento enquanto profissional de TI só foi possível graças aos esforços com o Ansible, que dentro da empresa começou designado a mim como projeto piloto (de testes). E uma vez que apresentei os resultados inicias, muito positivos e relevantes, diga-se de passagem, foi dado o START para colocá-lo em PRODUÇÃO, com mais recursos e pessoal alocado.

No meio do caminho, enquanto trabalhava no projeto, utilizava como hospedeiro e sistema operacional principal da máquina o próprio Windows 10. Nada demais, ou contra, mas o sentimento que me acompanha já faz certo tempo, é que a “janela” da Microsoft não me satisfaz em termos de desempenho, velocidade e produtividade. Ainda mais quando se usa um hardware modesto a simples. Os maiores “pecados” estão concentrados principalmente no gerenciamento de memória e I/O. Tenho instalado 8 GB de RAM e HD convencional de 5400 rpm com um WINDOWS Limpo (fresh install, sem blotware dos fabricantes). E após um determinado período de tempo (semanas, dias, horas), especialmente se você assim como eu tem o costume de suspender/hibernar o PC ao invés de desligar toda vez, a configuração atual deixa de ser suficiente para rodar, testar, e trabalhar com diversas máquinas virtuais, mesmo estas colocadas em modo texto. O SO vai gargalhar, e verá seu uso de RAM chegar a 85/90 por cento da capacidade total. E o pior, boa parte sendo alocada para o Windows e seus incontáveis processos em segundo plano, e inúmeras atualizações pendentes, constantemente ignoradas no estado HOLD, mas que continuam ocupando espaço lá na escassa e suada memória RAM.

Somente então a partir daí que tomei a atitude de, não eliminá-lo, mas sim trocá-lo por um jogador de peso e mais experiente: Kernel Linux + Distro Pop_OS! ( … ) Quando o assunto é agilidade, ganho de tempo e mais fluidez no workflow de um sysadmin ou dev, incontestavelmente, LINUX > Windows … Ei pessoal, levem na esportiva, afinal é apenas uma opinião pessoal deste autor que vos escreve! Ok? Feito as pazes? Adiante então, vamos prosseguir! Meu conselho para você que se encaixa nessa descrição: faça dual-boot, instale qualquer distro de sua preferência (.deb ou .rpm), dê uma chance para o Linux e seja feliz, + rápido + tempo livre pra curtir a vida!!!!

Pois muito bem, caso tenha escolhido o Pop_OS! ou qualquer distro com o ambiente GNOME Shell, verifique na loja de aplicativos e procure por “Boxes” ou “GNOME Boxes”. Encurtando e simplificado bastante, o Boxes está para o VirtualBox assim como o VMware Player está para o VMware Workstation. Ou seja, todos eles são virtualizadores, contudo os primeiros são bem mais limitados de opções e muito mais restritos para ajustes finos de hardware. Então por que utilizá-lo? A primeira pergunta que vem a cabeça, correto? A resposta remonta ao ponto que mencionei mais cedo: produtividade. O GNOME Boxes, assim como tantas outras ferramentas/programas de software livre, apresentam um ás na manga quando se trata de Linux, opensource, enfim, de modo geral no comparativo com outros S.O.s disponíveis no mercado … Integração, meu caro amigo! Integração é a palavra-chave que resume perfeitamente essa relação: núcleo (kernel) < > sistema operacional < > pacotes (software). Tudo isso sai da fábrica quase configurado, ás vezes já pronto, e para todo resto o que falta é a distância de apenas um comando no terminal. Resumindo. Em outras palavras: os “meios” necessários para que um admin ou dev consiga desempenhar tarefas e atividades em diversos tipos de sistemas e ambientes, de forma simultânea, e tendo que optar como base um SO único/hospedeiro … Qualquer distribuição linux oferece enorme vantagem, sendo quase sempre a escolha mais indicada. Pois os ditos “meios”, que na verdade e na prática, são meras ferramentas que já estão presentes, ou rodam nativamente, ou ambos. Além disso, mostram benchmarks ultra rápidos, graças ao gerenciamento de memória e sistema de arquivos diferenciados.

Recapitulando a composição do meu novo workflow, temos: Linux Kernel 5.13.0 + Pop_OS! 21.04 + GNOME Boxes 40.2 + ( … ) Por último, mas não menos importante, o cliente VPN da Check Point Software Technologies Ltd. Uma empresa estadunidense de segurança cibernética com imenso portfólio de produtos, soluções e serviços voltados para a área. E assim, chegamos ao gran finale do dia de hoje … O que é uma VPN? Por que utilizar? Como instalar? Qual tipo estou usando? São perguntas a serem respondidas em outro momento, num futuro próximo.

Adeus, e até breve! 😉

https://www.kernel.org/

https://pop.system76.com/

https://wiki.gnome.org/Projects/GnomeShell

https://www.checkpoint.com/quantum/remote-access-vpn/

TOPIC: OUT-OF-THE-BOX … coringa, java e encapsulamento ???

O que se pode aprender sobre programação em um filme de héroi com um certo quê policial? (…) Muito, caso preste atenção e observe os detalhes, sutileza e entrelinhas. Falo de Batman: O Cavaleiro das Trevas, de 2008 e dirigido por Christopher Nolan. Sequência direta de Batman Begins (2005), nela acompanhamos os esforços das mais diversas esferas do poder público de Gotham City para encontrar e capturar o criminoso/terrorista de alcunha ‘Coringa’. Tendo a ajuda de um certo “justiceiro mascarado”, a corrida pelo tempo transforma-se em uma verdadeira caçada para dar fim a onda de ataques e assassinatos que ocorrem por toda a cidade, vitimando desde civis desempenhando suas atividades (policiais, enfermeiros, “mafiosos”😁😆😁 ) até autoridades no exercício de suas funções (juízes, comissários, agentes públicos). OK VICTOR, MAS AONDE QUER CHEGAR? QUAL É O SEU PONTO? E O QUE ISSO TEM A VER COM JAVA? Fique comigo para descobrir e compreender tudo 😉

Bem meus amigos, é como diz aquela velha expressão em inglês: first things first … Cito ela pois farei, a seguir, um adendo na forma de parágrafo único. Trata-se de um fato sobre mim que gostaria de esclarecer. Não sou programador, tão pouco especialista na linguagem Java. Minha formação não é de desenvolvedor, mas sim de administrador de sistemas e infraestrutura. Oficialmente sou tecnólogo em redes, e minhas afinidades são Linux, Cloud, Servicedesk, Monitoramento, Devops, e linguagens estruturadas (aquelas que não são orientadas). Deixo bem explicito essa última porque é bem provável, quase certo na verdade, que em algum momento eu fale alguma “besteira”, inverdade, ou dado incongruente acerca do Java. A minha desculpa é, mais uma vez, não ser um profissional dessa área em específico. Mas, por favor, não pare de ler agora, já que acredito ter feito o dever de casa, me esforçando ao máximo para buscar fontes confiáveis e fidedignas ao assunto. Por último, antes de dar início a pauta, um apelo a todos os leitores sêniores e plenos em JAVA: comente abaixo suas ressalvas e eventuais correções, gosto de ouvir pessoas, relatos e experiências.

JAVA E POO: PAI E CONCEITO

Programação Orientada a Objetos, POO para os íntimos, é definido como um paradigma (forma de pensar) para escrever programas de computador baseando-se exclusivamente em “objetos”. Nesses casos, os dados seriam campos ou atributos, e os códigos em si, procedimentos ou métodos. Em pouquíssimas linhas, a lógica aqui é: (a) construir um objeto menor, (b) que será peça de um objeto maior, (c) que será usado por outro objeto, este maior ainda, (d) cuja a junção e interação com outros objetos maiores formaram um sistema, (e) onde finalmente será operado por um objeto chamado cliente. Exemplos de linguagens genuinamente orientadas (ou seja, significativas, que não suportam multiparadigma): o próprio Java, C++, Ruby, Perl.

Antes do surgimento da POO, os softwares eram completamente estáticos. Traduzindo em miúdos, os “objetos” contidos neles eram imutáveis durante todo o tempo de execução. Uma vez iniciado, nada se cria, nada se modifica (…) Tudo é o que é, e ponto final. Basicamente, essa era a lei vigente. Somente em meados da década de 60 para o início dos anos 70, é que ocorreria a virada de maré, tendo o nome de Simula67. Uma linguagem de programação concebida em Oslo, na Noruega, pelos pesquisadores Kristen Nygaard e Ole-Johan Dahl. Aqui foram apresentados os conceitos de classe e herança, duas características dentre um conjunto fundamental, utilizado para definir a orientação a objeto.

Sua popularização (não da Simula67, e sim da POO), ou BOOM! … aconteceria um pouco mais tarde. Foi na década de 90, com a criação do Java por James Gosling, e também, é claro, graças a outras linguagens com igual premissa. Mas sendo a citada anteriormente uma das mais populares, permanecendo até os dias de hoje.

1 2 3 Appeared in 1995 Java

THE DARK KNIGHT: “BUS DRIVER? WHAT BUS DRIVER?”

Hipoteticamente falando, imagine a seguinte situação: você foi contratado para ser o arquiteto de um assalto a banco (…) Não, não, melhor ainda 💡 Você foi contratado para escrever um programa que simula um assalto a determinado banco. Evidentemente, o êxito de tal código apenas será considerado se duas condições forem satisfeitas: (A) pelo menos um dos participantes deverá sair vivo e (B) todo o dinheiro que está na sala-cofre precisa ser retirado, movido e transportado junto. E então? Como você faria? 🤔 Difícil não? Possibilidades: (1) armamento pesado e explosivos? (2) captura de reféns para distração e negociação? (3) escavar um túnel subterrâneo até o cofre principal? (4) ataque hacker para causar um apagão interno ou roubo da grana virtualmente? (5) dispersar várias equipes, em pequenos grupos, para realizar ocorrências e delitos por toda a cidade, com o intuito de consumir os recursos locais das autoridades (viaturas, policiais, comunicação, bombeiros, etc)? Pelos parágrafos sucessores ao corrente, deixarei a minha sugestão de plano/script para tamanho objetivo.

Primeiro, divida o seu time de integrantes em dois. Um será incumbido da abordagem tradicional, velha guarda e ortodoxa da coisa, ou seja, basicamente entrar pela porta da frente anunciando o assalto, atirando para o alto e neutralizando pessoal da segurança. Em contrapartida, o outro grupo será a força técnica e especializada, responsável por desativar alarmes, burlar portas e fechaduras eletrônicas, transpor barreiras físicas como paredes e afins, e finalmente descobrir o segredo e ter acessar ao cofre aonde está todo o dinheiro. Muito óbvio, trivial e simples para o leitor? Pois aqui vai o meu pulo do gato 🐱 Se o trabalho de mentoria foi única e exclusivamente seu, por que não ficar com louros da sua conquista apenas para si? Afinal você é o cérebro da operação, não é mesmo?! Portanto, sendo assim, escreva o seguinte em seu pseudo código-fonte …

< BEGIN_OF_CODE >

Fazer reuniões de planejamento, ação, sincronismo e ajustes, que visam definir cada etapa do processo, somente com um (no máximo dois capangas) por vez. A intenção aqui é não deixar que ninguém conheça completamente como é feita a tarefa do outro, e muito menos ter ciência do panorama geral com riqueza de detalhes.

Além de dividi-los em dois grandes times, conforme mencionado no início, divida-os ainda mais em subgrupos (duplas ou trios) para evitar desentendimentos, brigas ou contratempos ocasionados pelas emoções/sentimentos da natureza humana. Esse é um fator impossível de eliminar já que é algo intrínseco e inerente ao homem. Por isso, o mesmo precisa ser mitigado ao máximo possível, para conter eventuais danos.

Escolha a dedo um indivíduo de cada subgrupo para eliminar o seu parceiro, uma vez que o segundo tenha concluído seu trabalho. Mas antes da execução sumária, oriente para que o primeiro deve aguardar um pouco e confirmar, tanto verbalmente quanto visualmente, o sucesso do seu companheiro. Isso despertará sua ambição interna e ganância por dinheiro, pois dessa forma será uma parte a menos para dividir no final, instigando assim dez vezes mais a desempenhar seu papel com perfeição.

Não fique apenas sentando atrás de uma mesa … Coordenando a ação por telefone ou computador … Não, não. Levanta-se! Vá a campo e infiltre-se na sua própria operação! Reforce a importância de todos usarem mascará (o que inclui você) para não serem rastreados depois, e também para que seus “subordinados” não saibam que o chefe está bem ao lado, supervisionando.

Finalmente, e caso tudo ocorra bem, no hall de entrada do banco, ponto de encontro e extração, sobrará apenas você e um capanga (talvez dois). Terminado de arrastar as malas de dinheiro, o(s) capanga(s) restante(s) será(ão) um daquele(s) instruído(s) a eliminar os eventuais remanescentes da equipe. Então, esteja preparado! Verá a si mesmo tornar-se um alvo ambulante. Será indagado e acusado pela suspeita de que o chefe da operação lhe disse a mesma coisa que ordenou para os outros: elimine as partes. Ganhe tempo, movimente-se devagar, posicione-se para longe da porta e confunda-o falando que está errado, pois você está encarregado de matar o motorista do ônibus (…)

– Aposto que o chefe te disse para me matar quando terminássemos.

– Não, não, não. Eu mato o motorista do ônibus!

– Que motorista? De que ônibus? AAARRGGHHHH

– ( Veículo entra de ré e atropela o dito comparsa )

– Esse aí não levanta mais … Levanta?

– ( Gesto negativo com a cabeça )

– O que houve com o resto dos caras?

– ( Disparo de tiros da sua submetralhadora apontada para o peito do motorista )

Pronto! Está feito! Sucesso absoluto!!! Carregue o ônibus com as sacolas, entre e dirija. Saia para a rua no momento em que um comboio de ônibus escolares está passando e se camufle enquanto as viaturas policiais vão no sentido contrário em direção ao banco.

Daily Heath Ledger — daily-joker: THE DARK KNIGHT 2008 |...
Figura 01. Você ☝
Daily Heath Ledger — daily-joker: THE DARK KNIGHT 2008 |...
Figura 02. O comparsa ☝

< END_OF_CODE />

ENCAPSULAMENTO: LEITURA RECOMENDADA

https://dzone.com/articles/why-encapsulation-matters

http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.36.8552&rep=rep1&type=pdf

REFERÊNCIAS NERD: BATMAN O CAVALEIRO DAS TREVAS

https://www.youtube.com/watch?v=8VEGGgp-M2w

https://www.youtube.com/watch?v=vetKTtM7YyU

BLOG SERIES: uma pausa nos estudos, lição de casa, +1 categoria, revisões periódicas e próximos posts

Olá querido leitor! E bem-vindo de volta! O sentimento que espero sempre despertar ao cumprimentá-lo, é basicamente: empatia e companheirismo. Acredito que não exista nada mais humano, nobre e belo (em uma palavra: gratificante) do que se colocar no lugar do outro, compreendê-lo, e ajudá-lo a evoluir/crescer, ensinando como você chegou ao ponto em que está hoje. Digo isso pois já fui um calouro na universidade, como sabem em um curso de tecnologia. Por vezes ao mesmo tempo que estava maravilhado com as linguagens, ide’s, sistemas operacionais, laborátorios de rede, etc, me peguei diversas outras assustado com algumas disciplinas e conteúdos específicos (alô Cálculo I, Física I, Java 😅). É claro que ao longo desse tempo tive ajuda de colegas, professores, veteranos, e amigos da área. A mesma coisa seguiu quando conclui, sai e entrei no mercado de trabalho … Foram meus pares (técnicos, analistas) e superiores (gerentes, diretores) que me auxiliaram na minha jornada profissional. Na verdade isso acontece até o presente momento, tendo em vista que a minha carreira ainda não terminou 👨‍💻

Pois muito bem, contada tal minibiografia, gostaria de resgatar brevemente (prometo!) a ideia por trás desse BLOG e sua disposição de conteúdos. DE NOVO VICTOR?! Calma, calma … Eu sei, eu sei … Somente faço isso pensando em um recém-chegado que caiu de paraquedas nessa postagem. Será rápido e indolor, palavra de escoteiro:

SERIES: Toda vez que um(a) ferramenta/tema/tópico for abordado(a) e identificado(a) por esse termo, saibam que trata-se do início de uma série de postagens ou faz parte de um mesmo conjunto prévio anteriormente criado. PLUS+: Aqui os posts darão continuidade a série “finalizada” da ferramenta presente no título. São uma espécie de extra, dica ou macete que aprendi no dia-a-dia. Algumas vezes tive que correr atrás, pesquisando, testando e documentando. Foi aí que me ocorreu a ideia de compartilhá-las separando-as em um contexto à parte. NEWS: Sugestivo e como a própria tradução do inglês para o português – serão notícias, novidades, atualizações e divulgação de eventos mundo afora. Minhas fontes? Canais oficiais das empresas/organizações responsáveis pelas ferramentas (websites, twitter, contas youtube, newsletter, RSS, etc.)

https://machinesbecomeservices.com/2020/11/04/vicrlda-im-alive-voltei-retorno-notas-e-avisos/

Igualmente importante, e sobre a categoria BLOG do site, segue:

A cada vez, quando quiser interagir, visando definir ou informar algo para o futuro (anúncios, enquetes, consultas, questionários) colocarei no início do título BLOG Series, categorizando o artigo como Blog, e marcando o texto com TAG “blog “.

https://machinesbecomeservices.com/2021/03/22/vicrlda-1-ano-25-posts-3-178-views-803-visitas-7-seguidores-no-wordpress-com/

Acerca da alternância e ordem dos posts, essas são as minhas diretrizes:

1º mandamento: Sempre que começar uma SÉRIE, terminar o mais breve possível (em um futuro próximo). Nunca, jamais deixá-la no limbo e retomar depois. O raciocínio se perde e a lógica se esvai. 2º mandamento: Manter no ar (online/disponível) no máximo duas ou três SÉRIES simultâneas. Mais que isso, corre o risco de comandos, códigos e conceitos serem trocados, gerando dessa forma uma baita confusão. 3º mandamento: Entre uma SÉRIE e outra, durante seus intervalos, fazer pequenas pausas trazendo conteúdo menos denso. Por exemplo, notícias (NEWS) e extras (PLUS+). A justificativa é dar tempo para efeitos de laboração e assimilação da(s) SÉRIE(s) principal(is).

https://machinesbecomeservices.com/2021/02/09/zabbix-series-teoria-monitoramento-e-os-3-qs-o-que-por-que-para-que/

Em suma, foi baseado nessas três colunas (ou como as chamo: pilares de argumento) que tomei algumas decisões, e portanto faço aqui anúncios relativos aos próximos eventos do BLOG.

  • Pequena pausa nas séries, incluindo (e principalmente) o Ansible … A ideia é dar tempo para laborar, praticar e buscar novos materiais. Quero dizer, por conta própria, sozinhos é claro. SUGESTÃO: referências/bibliografia que julguem interessantes, por favor, peço que compartilhem abaixo nos comentários. Tenho curiosidade, e seria bom também para os demais leitores, na minha opinião.
  • Os próximos dois posts serão, respectivamente:
    • um artigo pessoal, divulgando outro meio de interagir e revisar assuntos com vocês. Aguardem!
    • um texto inaugural, apresentando uma nova categoria. Tomara que gostem da proposta!

No mais, se cuidem, usem máscara, fiquem em casa, vacina sim, e esperança sempre!

Até logo!

Vicrlda: 1 ano … 25 posts, 3.178 views, 803 visitas, 7 seguidores no WordPress.com :) ;)

Olá mais uma vez 🥳 Vigésima sexta e contando… 31 de março de 2021 marcará o primeiro ciclo de vida deste BLOG 🎉 Há cerca de um ano iniciava a minha empreitada de documentar o máximo de coisas possíveis relacionadas ao mundo da TI. Sejam ferramentas, tópicos ou áreas/nichos (“macros”) da computação a ideia é criar uma verdadeira biblioteca virtual de artigos sobre cada tema que gosto, estudo e abordo aqui com vocês. Estes que irão compor séries, séries que virarão categorias com a adição de notícias e extras sobre a ferramenta em questão (SERIES + NEWS + PLUS). Não podendo negligenciar as TAGS, é claro. Um pequeno sistema que vai listando posts correlatos toda vez que você clica em uma delas. Evidenciando e ilustrando com um exemplo simples: a TAG centos direciona para textos onde o CENTOS é primordial/obrigatório… Seja porque ele é a base da instalação ou porque os alvos (hosts remotos) são centos e precisam ser tratados de acordo… Pacotes .PRM, FirewallD, SELinux, interfaces enp0s3, comandos de rede ip addr ****, etc, etc, etc.

Pontuadas tais informações, vamos agora ao conteúdo de hoje e sua respectiva estrutura, sendo esta última dividida em três partes:

  • Nova categoria “Blog” (…) Qual o significado do POST anterior? (…) O que é BLOG Series???
  • Túnel do tempo
  • Dedicatória a uma pessoal muito especial

METABLOG? UMA SÉRIE EXCLUSIVA PARA TRATAR DO BLOG? OU RECURSIVIDADE (o blog evocando ele mesmo)?

Se permite algumas perguntas: (A) Por acaso ficou assustado com o título do artigo passado? (B) E o texto propriamente dito? Não entendeu também nada? Calma… Respira, inspira, respira, inspira… Medite um pouco… Esvazie sua mente. Pronto! 😁🤭

Continuando o raciocínio. Vamos começar explicando o mais fácil: o corpo, ou melhor, os três parágrafos do post. Deixando claro que não quero subestimar a capacidade de ninguém, pois sei que a grande maioria se trata de profissionais, muitas vezes com anos de experiência. MAS, TODAVIA, CONTUDO, PORÉM, posso estar dialogando com algum leitor considerado novato, iniciante nesse ramo. Ou quem sabe um técnico/analista/sysadmin especializado só na parte de infra, e que talvez não tenha tanto interesse no mundo DEV. Então, sendo assim aqui vai a resposta: Latim… Isso mesmo! Aquela língua morta dos tempos do Império Romano que se verbalizada/falada parece ora uma sequência de palavras no plural, devido ao S no fim, ora uma eterna vibração de cordas vocais graças aos M’s nas terminações 😆😆😆😆 (Linguistas de plantão, por favor não me matem! rsrs). E de onde veio esse negócio de latim Victor? Do Sublime Text é claro, e um plugin específico chamado EMMET. Para conhecer mais clique aqui (https://www.sublimetext.com/) e aqui (https://packagecontrol.io/packages/Emmet)

Agora a outra parte, não diria difícil e sim enigmática: o título do post. Quem já possui certa familiaridade com Linux e terminal ou até mesmo atua na área de redes (seja como engenheiro, administrador, suporte) provavelmente decifrou a mensagem até certo ponto pois conhece cada comando, o operador “;” (ponto-e-vírgula), e principalmente, a saída gerada na tela que é resultante dos mesmos, respectivamente. Falando em output (telas e saídas), segue o que é mostrado quando executado o título da página anterior no bash do Linux:

Figura 01. Saída na tela de comando

E então? Desvendaram? O que eu quis dizer? NÃO?! Pois muito bem, aí vai:

De acordo com as estatísticas observadas (fim da seção), percebo que já tenho uma plateia recorrente, digamos assim “fiel”… E estou feliz demais por isso! De verdade, é alegria que não cabe no peito 😍 O problema que enxergo é: existe visualizações mas não engajamento. Aos que eventualmente discordam de mim, só posso dizer não … Essas duas coisas não são iguais e portanto explico. Visualizações tem haver com o tráfego do portal/site/blog, ou seja, simplesmente acessos e views, ponto final. Em contraste, engajamento é a parcela desse público que interage periodicamente com o autor (eu) e entre si também (respondendo, comentando e ajudando uns aos outros). E é justamente isso que sinto falta aqui 😥 Ainda não temos esse nível de proximidade e por isso faço um pedido (…) Sempre que possível, caso ache interessante o que escrevi, e se por acaso o conteúdo te ajudou de alguma forma, seja no seu trabalho ou faculdade… Por favor, considere compartilhar com seus amigos, curtir e comentar nas postagens. Dessa forma você estará ajudando o BLOG a ter mais relevância em mecanismos de busca para que outras pessoas, como você e eu, encontrem material útil aos seus estudos, laboratórios e práticas.

Por fim, a nova e mais recente categoria BLOG, batizada por mim de BLOG Series. Tive esse lampejo, pequeno momento de iluminação, para uma iniciativa particular. Toda vez que eu quiser interagir com vocês com intuito de definir algo para o futuro, por exemplo, enquetes, consultas, questionários, colocarei no título BLOG Series, classificarei como Blog (rodapé do site), e marcarei com TAG ‘ blog ‘. Ok? 😉

Figura 02. Estatísticas #01 / Painel ADMIN WordPress
Figura 03. Estatísticas #02 / Painel ADMIN WordPress

UMA MÁQUINA CHAMADA O TEMPO

A seguir um compilado de fotos que retratam o início. Com o tema Maganize do WordPress Premium, matriz 5×2=10_textos/pagina, e visual padrão (branco/claro), assim era o BLOG precisamente. ( História + escolha + motivos + mudança ) registrados nesse POST 👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻

Vicrlda: I’m Alive! Voltei 🙂 Retorno, notas e avisos

Figura 04. Tema Magazine do Plano WordPress Premium
Figura 05. Exemplo de Página/POST
Figura 06. Página HOME / 31 de março de 2020 / 1º artigo publicado

ANTES DE VICTOR HAVIA MARIA ESTELA

Em memória de Maria Estela, minha avó materna. Falecida em 27 de março de 2011. Um câncer a levou, para outro plano, um lugar melhor. Se cheguei aonde estou, foi por causa dela. Devo o que sou, minhas conquistas e sonhos, o homem que me tornei, tudo graças à ela. Obrigado Vovó! TE AMO!!!

👩🏻‍🦳👵🏻🧓🏻

Estela… Do latim, e que significa “estrela”… Ponto luminoso no firmamento… Corpo celeste com intenso brilho e calor próprio… Astro que serve de guia e referência para todo aquele que busca orientar-se à noite… Estelas são estrelas cuja luz jamais morrerá, e sim, iluminarão o espaço infinito universo afora…

⭐🌟🌠☄

BLOG Series: C:\ >_ echo “Hello?” ; nmap -sP (network).(ip).(range).1-254 ; whoami ; printf “Leave a comment below… \n”

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Sed vitae odio ac risus iaculis tempor. Donec at magna orci. Pellentesque malesuada maximus fringilla. Donec at nunc at tortor dictum dapibus eu vulputate sapien. Cras faucibus quam enim, eu congue libero vulputate non. Cras a orci quis est dapibus eleifend eu ut quam. Curabitur posuere justo ex. Nulla a blandit lorem. Aenean vitae fringilla felis, et varius nunc. Nulla faucibus massa ac lacus ultrices, condimentum tincidunt ex accumsan. Fusce vulputate quam ipsum, non interdum ligula mattis sit amet.

In nec sem gravida, rhoncus sem et, vulputate libero. Integer nec elit ipsum. Fusce a suscipit velit. In in laoreet mauris, eget condimentum turpis. Mauris faucibus ligula ante, nec dignissim lorem fringilla in. Aenean vel lectus a sapien cursus iaculis. Proin ut lectus in enim ornare interdum nec commodo ex. In hac habitasse platea dictumst. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur id pharetra sem. Aliquam erat volutpat. Proin placerat lobortis ipsum, tincidunt tempus urna dictum a. In sollicitudin justo enim, sed dignissim nisi varius at. Nam tortor diam, interdum pretium semper id, posuere eleifend elit. In ut tortor in ipsum egestas porttitor. Morbi dictum orci eget ante porta bibendum.

Vestibulum ante ipsum primis in faucibus orci luctus et ultrices posuere cubilia curae; Praesent interdum massa in congue blandit. Etiam non ultrices libero. Vestibulum ut posuere sem. Nullam sed nulla a lorem sagittis porta eu ut erat. Donec at malesuada urna. Nulla eu nulla nulla. Nulla tincidunt pulvinar ligula, ac suscipit orci condimentum non. Phasellus placerat nisi quis faucibus finibus. Donec dictum, diam quis volutpat iaculis, eros ante suscipit tellus, vitae eleifend orci mi in mi. Sed tempus, ex id elementum auctor, diam ante facilisis est, at maximus diam ante vitae tellus. Curabitur finibus odio quis libero lobortis interdum. Ut a commodo mauris, nec molestie lacus. Ut posuere, lorem ut elementum tempus, ipsum arcu egestas velit, id sagittis nisl dolor sed enim. Maecenas tempus, mauris sit amet lobortis tristique, justo turpis rutrum mauris, a consectetur ligula nisl non turpis. Maecenas hendrerit felis quam, a mattis mauris commodo placerat.